nome_imagem
nome_imagem
Publicidade
nome_imagem
nome_imagem
nome_imagem

Cadastre-se e receba nosso Boletim Diário

nome_imagem
nome_imagem

Fiscais da Stock Car são acusados de manipular punições da categoria


Suspeitas sobre a isenção que os comissários da Stock Car possuem ao atuar na aplicação de irregulares que pilotos e equipes possam apresentar foram levantadas nesta segunda-feira. Em matéria publicada pela Folha de S. Paulo, são reveladas conversas dos fiscais que indicaram punições sumárias e sem a aplicação de um critério imparcial.

Os comissários, por definição, têm duas funções; os técnicos são encarregados de preparar relatórios onde podem apontar problemas e irregularidades que os competidores tenham de acordo com o regulamento. A partir desse registro, sanções como perda de pontos e desclassificação de corridas podem ser aplicadas, tarefa que cabe aos comissários desportivos.

As conversas flagradas informam os fiscais falando sobre punir pilotos como Cacá Bueno em tom de brincadeira e deboche, o que deixa o aspecto da isenção em dúvida. "Vamos desclassificar ele por alguma coisa na próxima etapa...", teria dito o auxiliar de comissário Paulo Ygor Dias em conversa pelo aplicativo de mensagens WhatsApp.

"Na minha época, o Cacá foi vice em três vezes porque eu não estava a fim de deixar ele ser campeão", enviou Clóvis Matsumoto ex-fiscal da categoria, seguido por mensagens de risadas.

CBA se defende

Ouvida no caso, a Confederação Brasileira de Automobilismo, a CBA, se manifestou com o diretor Nelson Valduga, admitindo que as suspeitas são gravíssimas, e uma investigação será feita para que a situação seja esclarecida. No entanto, não deixou de ser frisado que algo assim vai além do poder dos comissários técnicos, que não podem fazer nada além de fiscalizar se o regulamento está sendo seguido corretamente.

Matsumoto, se defendendo das mensagens flagradas, afirmou que tudo foi dito em tom de brincadeira, e que não existe a possibilidade de inventar punições para pilotos de maneira arbitrária ou por motivações pessoais, garantindo que nunca viu algo do tipo acontecer desde 2002, quando estreou no cargo.

Cauteloso, Valduga crê que uma manipulação no resultado das corridas só caberia ao poder de decisão dos comissários desportivos, ao qual considera subjetivas. Entretanto, exaltou o profissionalismo de Matsumoto nos anos em que atuou na Stock Car, além de praticamente livrar Paulo Ygor de uma suposta culpa nas punições.

Confira a nota oficial da CBA:

A Confederação Brasileira de Automobilismo - CBA - vem a público informar que tomou ciência da matéria, publicada na data de hoje, 29 de fevereiro de 2016, no jornal Folha de S. Paulo, pela jornalista Paula Cesarino Costa, intitulada: "Troca de mensagens põe em xeque isenção de fiscais da Stock Car".

A matéria informa que a Folha de S. Paulo "teve acesso a uma troca de mensagens, por WhatsApp de um grupo de comissários e auxiliares que atua no circuito".

Nas conversas, a que a Folha de S. Paulo diz ter tido acesso, os comissários supostamente fariam ameaças de desclassificar pilotos e se vangloriariam de já o terem feito.

A matéria se refere especificamente ao auxiliar Ygor Dias, ao Comissário Técnico Clóvis Matsumoto e aos pilotos Cacá Bueno, Xandinho Negrão e Átila Nunes.

A CBA informa que, provisória e preventivamente, resolveu afastar os oficiais de pista citados na matéria e abrir inquérito administrativo para apurar supostas irregularidades, além de encaminhar a matéria jornalística para a Procuradoria do STJD do Automobilismo, ante a gravidade do narrado.

A CBA esclarece que os auxiliares e comissários técnicos não têm o poder de desclassificar ou de tirar pontos de qualquer piloto. Eles, os comissários técnicos, elaboram um relatório técnico, emprestando conformidade ou desconformidade ao veículo de competição diante do regulamento técnico da categoria.

As vistorias técnicas são realizadas, de ofício, pelos comissários técnicos ou por reclamações de pilotos ou de equipes concorrentes, na forma do Código Desportivo do Automobilismo e, em qualquer hipótese, são acompanhadas, pessoalmente, no local em que os carros são vistoriados, por membros da equipe proprietária do veiculo, inclusive pelo piloto, se assim o desejar.

Os regulamentos técnicos das categorias são objetivos, não se prestando, em regra, a interpretações divergentes.

Os Comissários Desportivos, com base nos relatórios elaborados pelos Comissários Técnicos, na presença dos membros das equipes, têm o poder de punir os pilotos, inclusive com perda de pontos.
A CBA, em levantamento realizado a partir de janeiro de 2009, pode afirmar, com toda certeza, que nenhum piloto veio a ser punido pelos comissários desportivos, com base em relatório dos comissários técnicos, e, portanto, nenhum piloto deixou de ser campeão em virtude de punições dos comissários da CBA.

Fonte: Gazeta Press, via ESPN

Postado por Passos 24 Horas on 19:08. Marcadores , . Adicionar aos favoritosRSS 2.0

Postagens Recentes

Passos 24 Horas

nome_imagem

Diversos