[Fechar]

.....

.....
nome_imagem
nome_imagem
Publicidade
nome_imagem nome_imagem
nome_imagem
nome_imagem

Cadastre-se e receba nosso Boletim Diário

nome_imagem
nome_imagem

Prefeitura entrega restauro da Estação Cultura


A Prefeitura de Passos celebrou nesta terça-feira (20) a entrega à comunidade da obra de restauro da Estação Cultura, bem tombado pelo Patrimônio Cultural do Município e pelo Instituto Estadual de Patrimônio Cultural e Artístico de Minas Gerais (IEPHA-MG). A entrega teve uma solenidade presidida pelo prefeito Ataíde Vilela e uma programação especial, que contou com exposições, lançamento de livros infantis e apresentações do coral da Primeira Igreja Batista de Passos e da Banda de Música do 12º Batalhão da Polícia Militar.
Representantes de diversas entidades, como os conselheiros do Patrimônio Cultural de Passos, Clube do Carro Antigo e as associações dos Escritores e dos Ternos de Congo e Moçambique de Passos, participaram do evento. Sob a regência do maestro-tenente Antônio Marcos do Nascimento, a abertura foi da Banda da PM, que é Bem Cultural Imaterial do Município, com 50 anos de história em Passos e região.
A frente de honra teve, entre outros convidados, o prefeito Ataíde Vilela, a secretária de Educação, Cultura, Esporte e Lazer, Pilar Aparecida Lemos Faria, a diretora de Cultura, Taciana Lopes Baptista, a presidente do Conselho Municipal de Patrimônio Cultural, Adriana Beatriz de Oliveira Polez Rocha, o vereador Hilton Silva (vice-presidente da Câmara) e o professor de história Antônio Theodoro Grilo, que dá seu nome ao Centro de Memória.
A revitalização da Estação Cultura, que abrigou a extinta estação ferroviária da Companhia Mogiana e, depois, Fepasa, foi uma obra emergencial da Prefeitura com o Conselho do Patrimônio para recuperar o complexo da deterioração. A execução do projeto custou R$ 411.894,60, com recursos do Fundo Municipal de Proteção do Patrimônio Artístico e Cultural (Fumpac) e do Município.
Foram recuperados o saguão de passageiros, telhado, piso, reboco e pintura. A obra conservou as características originais do complexo, que corresponde ao padrão arquitetônico das estações da Mogiana, conforme determina a lei do tombamento. Segundo Adriana Rocha, a obra foi a primeira etapa do grande projeto de restauro, estimado em mais de R$ 2 milhões – recursos que o conselho e a Prefeitura deverão buscar nos próximos anos. “Foram dez meses de uma luta para realizar a obra e agora vamos viabilizar os projetos de atividades culturais para esse espaço”, disse.
O prefeito Ataíde Vilela discursou falando das dificuldades financeiras do Município para realizar os projetos para a cidade, mas que o restauro da Estação Cultura comprova que o trabalho é compensador, devido aos resultados para a sociedade. “É uma obra que representa muito, porque representa o resgate da nossa história, da nossa memória, da nossa cultura”, afirmou.
Antônio Grilo fez um breve histórico da antiga linha ferroviária, desde a inauguração do ramal em 1921 até sua extinção em 1986, com a retirada dos trilhos ocorrida no início dos anos 90. 

O professor destacou também a importância de preservar os prédios da estação, por causa da importância histórica e cultural da ferrovia para o município e também pelo acervo de documentos jurídicos, legislativos e outros conservados no Centro de Memória e que estão à disposição de pesquisadores. 

“A cidade de Passos deve estar sobejamente honrada de ter um centro de memória, porque a maioria das cidades não tem um centro memória por não terem sido capazes de preservar sua documentação”, disse, após citar a conservação de um manuscrito jurídico de 1848, quando Passos ainda era chamada de Vila Formosa do Senhor Bom Jesus dos Passos.

Programação
O Departamento de Cultura e o Conselho do Patrimônio Cultural fizeram uma programação especial para a solenidade de entrega do restauro da Estação Cultura. A Banda da PM animou o evento durante a chegada do público e executou o Hino Nacional na abertura da solenidade, que seguiu-se com o descerramento da placa que simboliza a revitalização do complexo.

A programação teve também uma exposição de carros antigos do Clube do Carro Antigo de Passos, com participações do presidente Nei José Lemos Moura e  do professor José Leite de Carvalho, fundador do clube, na frente de honra. Uma exposição artística, “Old Soul”, com obras de Daniel Silveira Lopes, o lançamento de “Cordel Mineiro”, com poesias de Messias Grilo, e de livros infantis de Jane Fernandes Hespanhol. 

Outra participação especial na entrega do restauro da Estação Cultura foi do coral e banda da “Primeira Igreja Batista em Passos”, interpretou várias músicas na antiga plataforma de embarque da estação.

Breve histórico

A estação ferroviária de Passos funcionou como terminal de ramal desde sua inauguração em 1921, transportando passageiros e cargas. Em 1976, os trens de passageiros deixaram de correr a linha, permanecendo apenas os de cargas, principalmente produtos das usinas açucareiras. O fechamento completo se deu em 1986, quando a estação e a linha já se encontravam em mau estado de conservação, segundo relatório da própria Fepasa, que a administrava até então.

Segundo relatos no site Estações Ferroviárias do Brasil, a estação de Passos seguia um dos padrões arquitetônicos adotados pela Mogiana, com desenho, dimensões, detalhes ornamentais, como as portas, janelas e fachadas, que foram copiados pela arquitetura da construção civil, tendo influenciado, portanto, o gosto da população daquela época.

Por Ascom/Prefeitura de Passos

Postado por Passos 24 Horas on 19:27. Marcadores , , . Adicionar aos favoritosRSS 2.0

Postagens Recentes

Passos 24 Horas

nome_imagem

Diversos