[Fechar]

.....

.....
nome_imagem
nome_imagem
Publicidade
nome_imagem nome_imagem
nome_imagem
nome_imagem

Cadastre-se e receba nosso Boletim Diário

nome_imagem
nome_imagem

Cerca de quatro mil pessoas protestam contra a Reforma da Previdência em Passos


O ato público contra a Reforma da Previdência, realizado nesta segunda-feira (27/03/2017) por cerca de dez sindicatos de trabalhadores de Passos e região, reuniu cerca de quatro mil pessoas na Praça Geraldo da Silva Maia (Praça do Rosário) e na passeata que percorreu um trajeto até o prédio principal da UEMG Passos. No prédio da UEMG, havia outro grupo também fazendo manifestação contra a PEC 287/16 proposta pelo governo de Michel Temer. O ato foi convocado por dois sindicatos – Sindicato Único dos Trabalhadores no Ensino de Minas Gerais (Sindute-Subsede regional Passos) e Sindicato dos Servidores Municipais de Passos (Sempre).

Na praça, os pronunciamentos foram abertos pela presidente da Seccional da OAB (Ordem dos Advogados do Brasil - Seccional Passos), Maria Lúcia Abreu, que criticou a PEC 287 “por conter vários abusos contra os direitos sociais”. Também falaram representantes de vários sindicatos de trabalhadores, como o Sindute-Passos (trabalhadores no ensino), Sempre (servidores municipais), Sindconstro (construção civil), Sticcep (costureiras), Sempre de Itaú e de Fortaleza de Minas (servidores municipais), Associação Reintegrar (pessoas portadoras de deficiência), União das Associações de Bairro de Passos (UABP) e a presidente da Câmara de Passos, Maria Isabel Ribeiro (PP). Praticamente, todas as falas versaram sobre o desmonte da Previdência Social, com a retirada de direitos de trabalhadores da ativa, aposentados e pensionistas.

Participaram do ato outros sindicatos de Passos e região, como o Sindefurnas (eletricitários), Sindicato dos Bancários, Sindicato dos Rodoviários de Passos e região (motoristas), Sindcom (comerciários) e Sindicato dos Trabalhadores Rurais, e entidades como Fortes (fórum de trabalhadores e entidades), União Nacional dos Estudantes (UNE), União da Juventude Socialista (UJS), a Intersindical e vários coletivos de luta.

Passeata

Além dos trabalhadores do ensino e dos servidores municipais, pessoas de diversos segmentos de Passos e região participaram do evento de ontem à tarde, com faixas e cartazes de protestos. A polícia militar parou o trânsito na frente da Prefeitura de Passos, para que os manifestantes ocupassem a área e, posteriormente, os policiais fecharam o trânsito no trajeto da passeata até à UEMG. Na frente da UEMG, houve novos pronunciamentos e gritos de palavra de ordem contra a reforma e contra o presidente Michel Temer.

Durante todo o dia, oito carros volantes de sindicatos dos trabalhadores de Passos e região percorreram a cidade com mensagem dirigida aos deputados federais votados na cidade, sobretudo Renato Andrade (PP) e Rodrigo Pacheco (PMDB). Nas mensagens, os sindicalistas pediam a votação contrária à PEC 287, visto que ela retira direitos de trabalhadores, aposentados e pensionistas. Outro ato de ontem foi a entrega de um abaixo-assinado com 5.200 assinaturas colhidas durante três dias, na cidade, contra a reforma da PEC. Um dos volumes foi entregue ao deputado Renato Andrade e outros dois a assessores de bancada do PMDB e do PP, na Câmara de Passos, para posterior envio a seus dirigentes partidários.

Por Ascom/Subsede Regional do Sindute-Passos-MG

Postado por Passos 24 Horas on 17:54. Marcadores , . Adicionar aos favoritosRSS 2.0

Postagens Recentes

Passos 24 Horas

nome_imagem

Diversos