[Fechar]

.....

.....
nome_imagem
nome_imagem
Publicidade
nome_imagem nome_imagem
nome_imagem
nome_imagem

Cadastre-se e receba nosso Boletim Diário

nome_imagem
nome_imagem

Dono da JBS grava Temer aprovando compra de silêncio de Cunha, diz "O Globo"


Os donos da JBS, Joesley e Wesley Batista, afirmam ter uma gravação envolvendo o presidente Michel Temer (PMDB). As informações foram publicadas na noite desta quarta-feira (17) pelo colunista Lauro Jardim, do jornal " O Globo ". De acordo com o jornalista, os empresários visitaram o Supremo Tribunal Federal (STF) na última quarta-feira (10) para confirmar ao ministro Edson Fachin o conteúdo da delação premiada que fizeram à Procuradoria-Geral da República (PGR) em abril.

Segundo Jardim, Temer tomou conhecimento de que Joesley estaria dando mesada ao ex-deputado Eduardo Cunha (PMDB) e ao operador Lúcio Funaro para que ficassem em silêncio. O presidente teria incentivado a estratégia: "tem que manter isso viu?". O diálogo teria ocorrido por volta das 22h30 do último dia 7 de março, no Palácio do Jaburu, a residência da vice-Presidência.

Em seu depoimento à PGR, o dono da JBS afirmou que o presidente não determinou o pagamento a Cunha, mas tinha total conhecimento sobre a estratégia. Joesley teria afirmado que pagou R$ 5 milhões após a prisão de Cunha. O valor seria relacionado a uma saldo de propina que o peemebista tinha com ele.

Os dois ainda haviam acertado o pagamento de outros R$ 20 milhões por conta da tramitação de uma lei sobre uma isenção de impostos para frigoríficos como a JBS.

Partido dos Trabalhadores

Ainda de acordo com as informações publicadas pelo jornal, Joesley relatou que o ex-ministro da Fazenda Guido Mantega era seu contato dentro do PT para efetuar as negociações sobre pagamentos de propina ao partido. O economista, que atuou nos governos de Lula e de Dilma Rousseff, ambos do PT, também seria o responsável por garantir os interesses da JBS no BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social).

Ao receber os pagamentos, Mantega seria o responsável pela distribuição da propina aos parlamentares do PT. No entanto, os delatores ligados à JBS afirmaram que Mantega não ficaria com o dinheiro para si, e sim para a distribuição entre os integrantes do partido. Em relação ao ex-ministro Antonio Palocci, Joesley afirmou que ele não interferia nos assuntos da empresa com o BNDES.

Já sobre o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, Joesley teria dito que não tinha intimidade com ele, mas que já se reuniu com o petista e que, em pelo menos uma ocasião, ele teria manifestado preocupação em relação aos altos valores das doações feitas pela JBS aos políticos do partido, o que, segundo ele, poderia chamar a intenção de investigadores.

Internet

No Twitter, dos dez itens mais falados pelos internautas brasileiros por volta de 21h, nove eram ligados à situação de Brasília. Os seguintes termos apareciam nos trending topics: “Temer”, “Aécio”, “eu votei na Dilma”, “Joesley”, “Jornal Nacional”, “diretas já”, “Eduardo Cunha”, “República” e “Friboi”.



*Com informações do Último Segundo/iG

Postado por Passos 24 Horas on 20:45. Marcadores , . Adicionar aos favoritosRSS 2.0

Postagens Recentes

Passos 24 Horas

nome_imagem

Diversos