nome_imagem
nome_imagem
Publicidade
nome_imagem nome_imagem
nome_imagem
nome_imagem

Cadastre-se e receba nosso Boletim Diário

nome_imagem
nome_imagem

Cientistas acham esqueletos abraçados em lápide de 5 mil anos


Um túmulo de cinco mil anos foi encontrado por arqueólogos na região de Karaganda, no Cazaquistão, e revelou grande surpresa aos pesquisadores quando aberto: isso porque havia o par de esqueletos do que parece ser um casal de apaixonados, o que levou à comparação ao casal da tragédia de William Shakespeare, "Romeu e Julieta". As informações são do Mirror.

De acordo com Igor Kukushkin, arqueólogo responsável pela escavação, os esqueletos estavam deitados lado a lado, como se tivessem vivido e falecido juntos, por isso, a alusão a " Romeu e Julieta ". Ele explicou que, apesar da origem do casal ainda ser desconhecida, há especulações de que o homem tenha sido um guerreiro da Idade do Bronze, por estar enterrado junto de uma adaga de metal.

Já a mulher foi encontrada com muitas joias, incluindo pulseiras feitas com pedras preciosas verdes. O casal foi identificado em uma sepultura escondida no meio de entulho de pedras e estava próximo a carcaças de dois cavalos.

Kukushkin afirmou que um grande mistério ronda a história do casal encontrado no túmulo, mas que ele e sua equipe acreditam que os ‘pombinhos’ tenham protagonizado uma história de amor com fim trágico, pois tudo indica que tenham realizado o ‘último sacrifício’ para morrerem e serem sepultados juntos.

O estudioso ressaltou que na Era do Bronze as pessoas costumavam crer que se fizessem       sacrifícios de morte, principalmente no âmbito amoroso, encontrariam com a pessoa amada em uma vida além do plano físico. Isso também explica o porquê de serem enterrados na mesma lápide.

“Não temos respostas concretas sobre os ossos encontrados, e todas as dúvidas aumentaram ainda mais pela maneira como os esqueletos foram achados na sepultura. Não sabemos se eram namorados , se foram mortos ou cometeram suicídio para permanecerem juntos. Tudo ainda é um mistério. Nossa pesquisa inicial não mostrou nenhum dano visível a eles, continuaremos com as análises para detectarmos a causa de suas mortes", alegou o arqueólogo.

Em relação aos restos mortais dos cavalos, o pesquisador ressaltou que os animais foram mortos e estavam posicionados em volta da lápide em "posição de trabalho", como se puxassem uma carruagem.

Junto aos restos mortais dos animais e de " Romeu e Julieta ", o grupo ainda diz ter achado uma ponta de flecha de pedra, um pingente banhado a ouro e cerâmica.  “Essa foi uma descoberta rara, estamos felizes por termos localizado esse túmulo preservado e sem nenhum resquício de tentativas de invasão por ‘ladrões de túmulos’”, concluiu o arqueólogo da Universidade Estadual de Karaganda, Viktor Novozhenov.

Por iG São Paulo - 27/07/2018

Postado por Passos 24 Horas on 15:53. Marcadores , . Adicionar aos favoritosRSS 2.0

Postagens Recentes

Passos 24 Horas

nome_imagem

Diversos