nome_imagem
nome_imagem
Publicidade
nome_imagem
nome_imagem
nome_imagem

Cadastre-se e receba nosso Boletim Diário

nome_imagem

Cássio Soares é designado relator da CPI Fura-Fila


O deputado estadual Cássio Soares (PSD), líder do Bloco “Minas são Muitas”, da Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG), foi designado relator da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) Fura-fila, que apura se houve irregularidade na vacinação de servidores do governo do Estado contra a Covid-19, assim como os baixos investimentos no setor de saúde em 2020 e em leitos para enfrentamento à doença. A reunião aconteceu na tarde desta quinta-feira, 18 de março, para escolha do presidente e vice que, em seguida, designou o relator.

A presidência da CPI está a cargo do deputado João Vítor Xavier (Cidadania), presidente da Comissão de Saúde na ALMG e o vice escolhido foi Ulysses Gomes (PT), que propôs a formação da CPI. A Comissão também é composta por Sávio Souza Cruz (MDB), que já foi secretário estadual de Saúde, Rafael Martins (PSD), Noraldino Júnior (PSC) e Roberto Andrade (Avante). Como suplentes, os deputados Doutor Paulo (Patriota), Sargento Rodrigues (PTB), Carlos Pimenta (PDT) e Hely Tarqüínio (PV), Cristiano Silveira (PT), Guilherme da Cunha (Novo) e Zé Guilherme (PP).

Ao assumir a missão de relatar mais uma importante discussão na Assembleia, Cássio Soares afirmou que a apuração dos fatos é necessária, mas isso não será maior que o trabalho de enfrentamento à pandemia. “Nós temos essa responsabilidade de não interferirmos nos trabalhos feitos em combate à pandemia. Mas, o que aconteceu foi gravíssimo e fatos novos vêm chegando a todo momento. Fatos novos e lamentáveis. É por isso que temos por obrigação, poder acompanhar, fiscalizar, dar respostas e aí sim, exemplo para todo o nosso Brasil”, afirmou o relator.

CPI

A instauração da CPI é resultado de reunião realizada na Assembleia na última semana, em que foi ouvido o então secretário de Estado de Saúde, Carlos Eduardo Amaral. Na ocasião, diversos parlamentares cobraram explicações sobre a vacinação de centenas de servidores administrativos da secretaria, que estariam fora das prioridades do Plano Nacional de Imunização. Diante da repercussão do encontro, Carlos Eduardo Amaral foi dispensado do cargo, dando lugar a Fábio Baccheretti.

“Vamos investigar a fundo esses que se entendem como privilegiados em passar à frente na vacinação. Neste momento de pandemia, é um dos crimes mais graves”, afirmou o presidente da ALMG, deputado Agostinho Patrus (PV), ao deferir o requerimento para a instalação da CPI.

“Eu tenho percebido que o fato de a Assembleia ter dado essas respostas, já está ensejando outras ações semelhantes interior a fora. Será que isso não traz prejuízo para vidas humanas que deveriam estar sendo preservadas dentro de uma fila ordinária, de normativas que foram estabelecidas pelo Ministério da Saúde”, questionou Cássio Soares, afirmando de que respostas serão dadas à população mineira.

Por Ascom / Deputado Cássio Soares - (19/03/2021)

Postado por Passos 24 Horas on 17:31. Marcadores , . Adicionar aos favoritosRSS 2.0

Postagens Recentes

Passos 24 Horas

nome_imagem

Diversos